Robôs bons de bola

Faculdade de Americana realiza primeira partida de futebol de robôs na Instituição

Desta vez não há espaço para Neymar, Douglas Costa ou Lucas Lima, quem vai dominar o campo de jogo na Faculdade de Americana serão os robôs dos alunos de Engenharia Elétrica da FAM.  O evento inédito na Instituição reúne robôs de alunos do oitavo período de Engenharia Elétrica.

O projeto faz parte da disciplina Inteligência Artificial e Robótica, ministrada por José Matias Lemes Filho, que tem como objetivo a projeção de robôs com todos os conhecimentos adquiridos durante os períodos anteriores como: Tecnologia de Informação e telecomunicação, Redes e Comunicação de Dados, Automação Industrial, Ergonomia e Segurança do Trabalho.

Para estimular a criatividade dos alunos, a competição foi lançada envolvendo toda a classe. “Estimular os nossos alunos com o jogo de futebol que é a paixão nacional, e claro, concentrar todos os aprendizados conquistados em classe no campo de jogo”, disse o idealizador do projeto, professor Matias Leme.

De acordo com o coordenador do curso de Engenharia Elétrica da FAM,  Carlos Fielde, a robótica tem entre muitos objetivos, permitir que grandes empresas possam ganhar em produtividade. 

“A robótica nas indústrias, o empresário ganha em produtividade, outro exemplo, é área médica para cirurgias de alta complexidade. E com isso o nosso  aluno usa os recursos elétricos, pneumáticos, de controle  para chegar em uma solução que possa colaborar no dia dia da sociedade como estamos acostumados a ver, por exemplo,  em indústrias de carro”, disse.

Assim como no futebol, os alunos atuam como verdadeiros dirigentes e treinadores. Eles se concentram em robôs de baixo custo, mas com alto rendimento. E para isso, o reaproveitamento de componentes elétricos e mecânicos estão inseridos na proposta.

“Fazer robôs de baixo de custo e de alto desempenho é um dos nossos objetivos com os alunos, incentivando a criatividade de cada um”, afirmou Fielde.


O jogo

Cada robô deve mostrar claramente os componentes como controladores, sensores, atuadores, manipuladores, engrenagens, eixos, fonte de energia, fiação e estrutura.

Com essas especificações são criados os robôs, que devem ter no máximo 22cm de comprimento, 22cm de largura e 22cm de altura.

As escalações das equipes estão definidas com 3 jogadores, sendo 1 defensor, 1 meio –campo e 1 atacante. A medida do campo de jogo está definida em conformidade com a FIRA – Federation of International Robot-Soccer Association – que propõem campo de jogo com piso de madeira, vinilico ou laminado com dimensões de 180cm de comprimento x 220cm de largura. Nas laterais do campo serão reforçadas com madeira. O gol tem a distância da borda inferior ao travessão de 20cm.  O jogo terá dez minutos de duração divididos em dois tempos de cinco.

A partida será realizada hoje, dia 17 de novembro, na praça central da FAM.










Deixe o seu comentário