No último dia 2 de outubro, a aluna Priscila de Rezende Miranda, do 8º semestre do curso de Veterinária da Faculdade de Americana, e bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica (PIBIC) e Inovação Tecnológica (PIBITI) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), participou do 14º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica – CIIC 2020, que este ano ficou sob a coordenação Embrapa Informática Agropecuária, e foi realizado, extraordinariamente, no formato de conferência online, nos dias 1º e 2 de outubro.

O tema do trabalho foi a “Eficácia do limoneno no controle de Haemonchus contortus em ovinos”, realizado no Centro de Pesquisa de Genética e Reprodução Animal. O trabalho ficou em segundo lugar e entrou na sessão de apresentação oral. A orientação foi da pesquisadora Luciana Morita Katiki, com a colaboração de Guilherme Fávero Luciani, Cecília Jose Veríssimo e Leandro Rodrigues.

 

 

“Tive muito apoio dos professores da Faculdade de Americana, na época a professora Josemara, professor Mauricio e Juliana da Silva. Sem a orientação dos professores não teria encontrado esse caminho da Iniciação Científica”, agradeceu Priscila de Rezende.

O limoneno é um óleo da laranja, foi a base da preparação de uma pasta para uso via oral, para combater os parasitas nos ovinos que causam prejuízos aos produtores. O animal desenvolve anemia, são muitos vermes que ficam no abomaso, que é a quarta câmara do estômago dos ruminantes, onde ocorre a digestão. É um órgão alongado, com estrutura e funções comparáveis às do estômago de não-ruminantes

“Os resultados mostraram que a pasta de limoneno administrada por 3 dias consecutivos reduziu significativamente a contagem de ovos no exame OPG a partir de sete dias do início do tratamento. A inibição de 100% da postura de ovos foi constatada aos 16 dias do início do tratamento. A infecção dos animais tratados se manteve menor que a infecção dos animais do grupo controle até 23 dias do início do tratamento. Mais estudos devem ser realizados a fim de se avaliar uma melhor dose que mantenha a eficácia de 100% de forma permanente e que seja uma possível alternativa aos efeitos negativos do parasita Haemonchus contortus”, disse a aluna pesquisadora.

 

 

O professor da FAM, Leandro Rodrigues, que auxiliou o trabalho de pesquisa no Instituto de Zootecnia, lembra que é importante os alunos conhecerem também este lado das pesquisas.  “É um incentivo para o aluno. No trabalho da Priscila pude contribuir na formulação do produto a base de óleos essenciais pra verminose de ovinos e na execução do projeto. Temos mais alunos da FAM se interessando em entrar na Iniciação Científica, dentro do IZ o aluno pode desenvolver a parte prática pra lidar com os animais e também ele vai ver o outro lado que é a pesquisa, conseguir escrever um artigo para publicações em revistas e congressos, são pontos positivos de estar na Iniciação”, disse .

Alberto França, coordenador do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Americana, ressalta a importância do desempenho do aluno durante o curso. “O exemplo da Priscila é importante para quem está chegando e aos que já estão por aqui. Ficamos felizes com o desempenho da aluna e os resultados alcançados. O curso ainda é recente e já está conquistando ótimos resultados”, comemorou.